Plantio direto: o que é?

plantio direto

O plantio direto é uma técnica criada para reduzir o efeito negativo das máquinas agrícolas e da própria agricultura ao solo. Também conhecido como plantio na palha, a ideia do plantio direto surgiu em 1940, em Ohio, com Edward H. Faulkner, mas só passou a ser adotado em todo o mundo após a Segunda Guerra Mundial. No Brasil, o plantio direto apareceu em 1970, quando agricultores paranaenses buscavam alternativas para acabar com a desertificação do solo.

Diferente dos processos de plantio tradicional, no plantio direto o solo só é manuseado durante o plantio, quando é aberto um sulco com uma semeadora especial e em seguida são depositados os fertilizantes e sementes. Após esse processo, a terra fica descansando, enquanto é feito o controle de ervas daninhas, plantas infestantes e doenças.

Leia também: E-book: Revestimentos Contra Desgastes - Agricultura

O plantio direto apresenta grandes vantagens, tais como:

- Controle da erosão do solo;

- Elevação da matéria orgânica disponível no solo;

- Melhoria da estrutura do terreno;

- Redução da perda de água da terra;

- Equilíbrio na temperatura do solo;

- Aumento da atividade biológica;

- Redução das operações com maquinários;

- Controle maior na época da semeadura;

- Sequestro de carbono no solo, controlando a liberação excessiva desse gás para a atmosfera.

semente plantada plantio direto

As desvantagens do plantio direto ficam por conta da necessidade de um conhecimento técnico maior, o controle de ervas daninhas e problemas na compactação do solo. Para evitar esses pontos negativos o ideal é eliminar todas as pragas e atentar para possíveis correções do solo.

Confira: Faça um teste de resistência à abrasão em nosso Centro de Pesquisa e Tecnologia

Apesar do plantio direto aumentar a produtividade da safra, os equipamentos podem sofrer com a técnica e prejudicar a colheita. Como? Confira abaixo:

- As peças de plantadeiras podem sofrer desgaste por abrasão: o contato com o solo e seus compenentes (pedras e restos de culturas) pode agredir a peça;

- O desgaste pode causar a redução do tamanho do sulco: um sulco pouco profundo impacta no processo de germinação da semente, se ela não estiver na profundidade correta ela não vai ter a quantidade de umidade suficiente para uma boa germinação;

- Uma planta pouco desenvolvida é mais suscetível às pragas e produz menos grãos, comprometendo a produção.

Além disso, os agricultores precisam despender elevadas quantidades de recursos financeiros para a substituição de peças. Em muitos casos, os fabricantes, e em alguns casos os agricultores, fabricam peças mais espessas para compensar o nível de desgaste. Essa alternativa não é a mais indicada, já que aumenta o esforço necessário para puxar o implemento, aumentando assim o desgaste das peças do trator, além de aumentar o consumo de combustível, abrindo ainda um sulco muito maior do que o necessário. Uma boa alternativa para isso é o uso de revestimentos contra desgastes, que apresenta resultados incríveis para a agricultura.

 

Acesse nosso estudo de caso e veja como Ajudamos a aumentar a vida útil de peças de plantadeiras de soja em 500%.