Artigos técnicos

Os artigos tem como principal objetivo apresentar, de forma resumida, como as empresas podem obter grandes resultados através da prevenção dos desgastes com a utilização dos revestimentos metálicos e cerâmicos.

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA AO DESGASTE ABRASIVO DOS REVESTIMENTOS WC-10CO, DIAMALLOY® E STELLITE 6® DEPOSITADOS POR HVOF

O desgaste abrasivo consiste na remoção de massa devido à presença de asperezas de uma superfície dura e rugosa, ou apenas partículas duras soltas que escorregam em uma superfície mais mole, causando deformação plástica e/ou fratura na interface [1-2]. Este mecanismo leva em consideração as características das partículas e dos grãos abrasivos. Maiores tamanhos de grãos representam maiores taxas de desgaste, enquanto partículas com maiores durezas irão ser mais resistentes ao desgaste [3]. A aplicação de revestimentos em superfícies auxilia na proteção contra o mecanismo de desgaste abrasivo. Existem inúmeros tipos de revestimentos e técnicas de aplicação, com as mais diversas características.

Revestimento NiCr metalizado por Arco Elétrico com gás de mistura reduz corrosão por DAM

No setor de extração de carvão mineral é comum observar falha do material metálico por corrosão, tanto nos equipamentos de lavra, quanto nos de beneficiamento desse minério. O desgaste químico de corrosão por ácido sulfúrico e óxi-hidróxidos metálicos ocorre uma vez que o material ferroso estrutural (substrato) entra em contato com a solução líquida chamada de DAM (Drenagem Ácida de Mina). Faça o download e continue lendo...

Aspersão Térmica e Corrosão - Parte II

O comportamento frente à corrosão de revestimentos aspergidos é estudado nos mais diferentes tipos de materiais de revestimentos, sendo que a abordagem de estudo deve ser conduzida conforme material. Faça o download do artigo para continuar lendo...

Aspersão Térmica e Corrosão - Parte I

Revestimentos obtidos por aspersão térmica obtiveram um grande avanço tecnológico nos últimos anos, o que proporcionou sua utilização nas mais diversas aplicações, que vão desde proteção contra o desgaste de turbinas até aplicações em implantes ortopédicos...

Resistência a corrosão de revestimentos de níquel e cobalto obtidos por processo de aspersão térmica HVOF em aço API 5CT P110 [artigo completo em inglês]

O aço API 5CT P110 é empregado na Indústria de óleo e gás devido às suas excelentes propriedades mecânicas. Entretanto, sua baixa resistência a corrosão exige o emprego de proteções. Embora os revestimentos de base cobalto e níquel obtidos por HVOF tem sido amplamente estudados no que diz respeito a resistência a corrosão, eles normalmente são associados com outros elementos. Revestimentos de níquel puro e/ou cobalto puro obtidos por HVOF não tem sido estudados. Além disso, neste trabalho, a resistência a corrosão desses materiais sobre o aço API 5CT P110 foi estudado. Os revestimentos foram caracterizados quanto a a sua Morfologia e Estrutura por Microscópio de Varredura, Análise Química por EDS, Difração de Raio X, Rugosidade, Micro Dureza e Vickers. A resistência a corrosão foi avaliada por Monitoramento OCP e Polirização Potencio dinâmica numa solução de 3,5% de cloreto de sódio. Os resultados apresentaram que os dois revestimentos agiram como barreira e evitaram o contato entre o substrato do aço e o eletrólito devido ao seu baixo ponto de fusão dos metais empregados, o que resultou numa efetiva fusão das partículas. Além disso, o revestimentos de níquel promoveu uma resistência a corrosão superior a do cobalto.

Revestimentos depositados por aspersão térmica hipersônica (HVOF) como alternativa ao cromo duro

Revestimentos de cromo duro são aplicados através de banho eletrolítico. Esse processo possui restrições por gerar efluentes com cromo hexavalente. Esse material é cancerígeno e extremamente prejudicial para o meio ambiente. Os revestimentos aplicados por aspersão térmica hipersônica (HVOF) são uma alternativa aos revestimentos de cromo duro. Eles possuem desempenho superior e não geram impactos ambientais. Este estudo apresenta os benefícios obtidos com os revestimentos de carboneto de tungstênio quando comparados com o cromo duro.

Hastes Polidas com Carboneto de Tungstênio

Hastes Polidas são peças utilizadas nas unidades de bombeamento mecânico de petróleo. Elas ficam em contato direto com a gaxeta. Sofrem desgaste por abrasão, corrosão marinha e corrosão de gases como H2S e CO2. Este artigo apresenta os problemas causados pelos desgastes em hastes e como a haste com carboneto de tungstênio soluciona esses problemas.

Recuperação dimensional em cabeçotes de alumínio para motor automotivo utilizando-se o processo de aspersão térmica a arco – Estudo de Caso

Nesse trabalho, realizado pelo aluno Carlos Alberto Minetto, com a coordenação do Prof. Richard de Medeiros Castro, da Engenharia da Faculdade SATC, é apresentado uma avaliação da recuperação de cabeçotes de motores, utilizando a aplicação de ligas de Ni Al e Al de alta pureza através do processo de Aspersão Térmica por Arco Elétrico.

Aspersão Térmica - Um método eficiente para substituir Cromo Duro

Aspersão térmica é o conceito dado ao conjunto de processos utilizados para a aplicação de revestimentos utilizando a pulverização de partículas metálicas. Após décadas de aplicação do Cromo Duro como revestimento protetor contra desgastes, o mercado global vem solicitando as indústrias de revestimentos, soluções modernas mais efetivas e ambientalmente corretas. Diversos estudos foram realizados e diversas técnicas de deposição de revestimento foram desenvolvidas. Poucas conseguiram alcançar as características de proteção do Cromo Duro. Porém uma destas técnicas foi mais além, não só conseguiu resultados superiores ao Cromo Duro, bem como, diminuiu praticamente a “zero” a poluição ambiental, esta técnica é chamada aspersão térmica. Leia o conteúdo completo do artigo no material disponível para Download abaixo:

Cromo Duro: Alternativas de Revestimentos Substitutos.

O cromo duro aplicado por banho eletrolítico é, há anos, amplamente utilizado na indústria para a proteção de peças contra desgastes por abrasão e corrosão. O avanço da tecnologia mostrou que esse processo gera impactos à saúde das pessoas e ao meio ambiente. Nesse artigo, você vai encontrar os impactos gerados e as tecnologias que substituem a utilização desse material com capacidade técnica superior, baixa manutenção e redução de custos.