Resistência à abrasão de materiais: Carboneto de Tungstênio x Cromo Duro x Aço Inox 420?

Resistência à abrasão de materiais

A resistência à abrasão de materiais é uma informação bastante difícil de ser encontrada e torna o proceso de decisão de gestores de manutenção bastante complexa. A grande variedade de oferta de materiais e processos de transformação torna essa atividade ainda mais difícil.

Frequentemente somos questionados sobre a melhor alternativa pra uma determinada peça que trabalha em ambientes abrasivos. Em muitos casos os profissionais relacionam a resistência à abrasão de materiais à sua dureza e acabam fazendo escolhas muitas vezes erradas. Uma interpretação mal feita sobre a resistência à abrasão de materiais pode resultar em 4 grandes problemas:

1 - Paradas de máquinas não programadas

2 - Ineficiências no processo de produção

3 - Auimento dos custos de manutenção.

4 - Redução do indicador de OEE

 

Leia Também: Indicador OEE: aumento de 1% resulta em um lucro líquido 7% maior

 

Entre os materiais mais utilizados para melhorar o desempenho de peças estão o revestimento de carboneto de tungstênio, o cromo duro eletrodepositado e o Aço Inox 420. Em muitos casos, os profissionais de manutenção acabam realizando a escolha pelo preço inicial do material e nem sempre essa é a melhor alternativa. A resistência à abrasão de materiais depende muito da sua estrutura e de como o mecanismo de desgaste está acontecendo..

Para facilitar a tomada de decisão, o aluno da Faculdade SATC, Victor Teixeira Colombo, desenvolveu um trabalho em parceria com a Rijeza que avalia a resistência à abrasão desses 3 materiais quanto submetidos ao ambiente de desgaste por abrasão. Nós disponibilizamos ele na ítegra pra você poder ter todas as informações com detalhes. Pra baixar o material em PDF é só acessar o link: Comparativo da resistência ao desgaste abrasivo do Carboneto de Tungstênio e o cromo industrial no aço inox 304