Metalografia – O que é e para que é utilizada essa análise?

Metalografia – O que é e para que é utilizada

Seja para verificar a especificação de um material, analisar o modo de falha ou nível de desgaste de peças, a Metalografia exerce um papel muito importante para a compreensão do comportamento dos materiais.

O ensaio metalográfico, outra designação dada à Metalografia, permite observar a microestrutura de metais e ligas, e é através dessa observação que podemos entender o desempenho macroestrutural de determinados componentes. Por exemplo, através da análise do tamanho de grão podemos prever o comportamento da fratura do material (dúctil ou frágil).

O ensaio metalográfico é considerado um ensaio destrutivo pois apenas uma seção da peça é analisada. Em geral, esta seção é retirada por corte, levada para embutimento para facilitar as etapas posteriores de lixamento e polimento. A análise em si consiste em coletar informações por meio de imagem, principalmente através de Microscopia Óptica (MO) ou Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV). Dependendo os objetivos da análise, é necessário um ataque químico da superfície para obter contraste na coloração de fases ou inclusões.

A utilização dessa técnica é apropriada em todas as etapas durante a vida útil de componentes: desde o desenvolvimento inicial, produção, controle de fabricação e se necessário até na análise de falhas. Ter o controle dessas etapas garante confiabilidade ao produto.

As principais informações obtidas através da Metalografia são:

  • Processo de manufatura da peça, como fundição, metalurgia do pó, soldagem, extrusão, forjamento, bem como tratamentos em que o material foi submetido, como têmpera, revenimento, esferiodização, entre outros;

  • Presença de tratamentos termoquímicos como nitretação, cementação, boretação ou revestimentos aspergidos, cromagem e fosfatização, relacionados à engenharia da superfície;

  • Distribuição e morfologia de fases intermetálicas;

  • Tamanho e região de crescimento dos grãos;

  • Porosidade, segregações e inclusões na microestrutura;

  • Formação de carbonetos em superfícies e contornos de grãos;

  • Corrosão intergranular e/ou intraganular;

  • Análise do modo de falha.

Além disso, a utilização de outras técnicas em conjunto com a Metalografia possibilitam aperfeiçoar a análise e obter resultados mais minuciosos, como é o caso do ensaio de dureza e de espectrometria (que fornece informações da composição química do material em análise).

 

Exemplos de aplicação

Medição da espessura e da qualidade de revestimentos aspergidos:

Aço Inox obtido por Aspersão Térmica

 

Identificação de camada de nitretada:

Revestimento + nitretação

 

Identificação das zonas de soldagem:

Zonas de soldagem

 

A Rijeza possui um Centro de Pesquisa e Tecnologia (CPT) com equipamentos de ponta para fornecer ensaios metalográficos para os diversos setores industriais com confiabilidade de análise e certificação ISO 9001:2015 de qualidade.

Conheça mais as possibilidades de aplicação desse ensaio, bem como nossa estrutura pelo link abaixo, ou solicite um orçamento de acordo com as suas necessidades:

 

CPT Rijeza – Análise de Metalografia