Por que o Carboneto de Tungstênio é a melhor alternativa para melhorar a disponibilidade em Hidrelétricas

Disponibilidade e confiabilidade em hidrelétricas

Tenho conversado com diversos gestores de manutenção de hidrelétricas e os objetivos são os mesmos para todos eles. Aumentar a disponibilidade da usina, com confiabilidade e, é claro, com o menor custo possível. Os esforços para atingir essas metas são balizados por duas premissas:

1 - Atendimento a contratos de geração firmados: A incapacidade de atender às demandas prometidas podem gerar, além de perda de faturamento, penalizações financeiras pelo não fornecimento da energia contratada.

2 - Aumento da Lucratividade: Usina parada é sinônimo de perda de faturamento, custos, riscos. Quanto maior o período que ela estiver disponível para geração, maiores os ganhos. Bastante óbvio, mas atingir grandes patamares de disponibilidade, com confiabilidade, não é tão simples assim.

Uma das principais causas da redução da disponibilidade é a necessidade de parada para reparos em elementos rotativos (rotores), tampas, palhetas diretrizes, eixos e elementos de vedação. Esses danos são gerados por partículas sólidas presentes na água do rio. Elas impactam a superfície das peças, os são esfregadas contra elas (por exemplo em anéis de vedação), removem material e reduzem a eficiência de funcionamento dos componentes.

Areia acumulada no rotor da turbina verificado numa parada para manutenção.

Para solucionar esse problema e aumentar a disponibilidade com confiabilidade, o revestimento de Carboneto de Tungstênio é a melhor alternativa encontrada. A aplicação desse revestimento nas superfícies de peças de turbinas proporciona aumento de vida útil superior a 400%, e o melhor, com baixo investimento.

Mas você sabe por que é possível atingir maior nível de disponibilidade com a aplicação de revestimento de carboneto de tungstênio? Veja abaixo os 3 principais fatores de desempenho:

1 - Dureza: O revestimento de carboneto de tungstênio possui dureza superior a 1000 Hv. Essa medida é bastante superior à dureza do aço carbono ou do aço inox utilizado para a fabricação de peças de turbinas. Os ensaios de erosão e abrasão apresentam nível de resistência 600% superior a esses materiais.

2 - Homogeneidade da camada aplicada: Uma camada de 0,2 mm, bastante densa e homogênea é aplicada na superfície, exatamente na região de desgaste. Essa possibilidade previne que o desgaste acentuado seja iniciado.

3 - Composição: A presença do cromo como elemento de liga proporciona uma elevadíssima resistência à corrosão, que evita que esse mecanismo, combinado com o desgaste abrasivo, reduza a vida útil das peças.

Baixe aqui o boletim técnico do Carboneto de Tungstênio