Manutenção corretiva: como a aplicação de revestimentos contra desgastes conseguiu aumentar a durabilidade de peças do processo de laminação a quente

Revestimentos para peças do processo de laminação à quente

Um dos primeiros ramos da indústria que atendemos na história da nossa empresa foi a siderurgia. Apesar de parecer um processo bastante rude, são necessários muitos cuidados para que o produto final seja produzido de acordo com os requisitos do cliente.

No processo de laminação a quente, os principais problemas encontrados são a temperatura e a velocidade com que o aço passa sobre as peças. Essas características acarretam em severos danos nas peças dos equipamentos gerados por um misto de desgaste por abrasão e desgaste por corrosão gerado pela temperatura elevada.

Os principais problemas associados a esses mecanismos de desgastes no processo, são:

1 - Retrabalhos: As peças que se desgastam são especialmente aquelas nas quais o aço passa sobre elas e, nesse caso, elas deixam marcas na superfície do aço que não são aceitas. Esse produto defeituoso é rejeitado e deve retornar para o processo.

2 - Parada de máquina: O desgaste de peças acarreta necessariamente na parada dos equipamentos para sua substituição. O resultado é uma redução significativa na disponibilidade da planta para produção

3 - Custos elevados de manutenção: As peças devem ser trocadas com frequência e em muitos casos é necessário manter elas em estoque por que a vida útil é tão curta que não há tempo hábil para aquisição.

4 - Exposição ao risco: o processo de substituição de peças nesses equipamentos nem sempre é simples e os profissionais ficam expostos a riscos de acidentes.

Para solucionar o problema, foi realizado o desenvolvimento de uma liga metálica resistente ao desgaste em ambientes de alta temperatura, o RW1000.

O RW1000 é um revestimento metálico aplicado por processo de soldagem e tem como principal característica a resistência à abrasão, impacto e, como diferencial, consegue manter as suas características técnicas em temperaturas superiores a 1000 ºC.

O desenvolvimento foi realizado em uma chapa de desgaste de uma linha de laminação. A chapa era fabricada em aço refratário. A durabilidade da peça era de 3 dias de operação, sendo que no final da sua vida útil as peças produzidas saiam completamente deformadas.

Foi fabricado uma chapa com o mesmo dimensional, com camada de 3mm do revestimento RW 1000. Vejam os principais resultados obtidos após a aplicação:

 

1 - Aumento da durabilidade: a chapa que antes durava 3 dias, conseguiu trabalhar 30 dias. Isso representou uma redução na frequência de troca de 1000%

2 - Redução dos retrabalhos. Como o aumento da vida útil, a peça trabalha muito mais tempo com o dimensional correto e praticamente eliminou a rejeição nessa etapa do processo.

3 - Redução da exposição ao risco: com a redução da frequência de troca, os profissionais de manutenção ficam muito menos expostos a riscos de acidente nessa etapa do processo.

4 - Redução de custos: Quando comparado o custo total (considerando somente o valor das chapas), a redução de custos foi de 50%.

O mais importante foi conseguir reduzir a manutenção corretiva, aumentando a durabilidade das peças com confiabilidade.

Conheça o nosso Centro de Pesquisa e Tecnologia para redução de custos de manutenção e aumento de produtividade